fbpx

Dúvidas

Ortognática

O tratamento correto de uma DMF envolve dois tipos básicos de procedimentos utilização de aparelhos ortodônticos fixos em ambas as arcadas e cirurgia “ortognática”. Os objetivos do tratamento são a correção das anomalias funcionais, oclusais e, segundo os desejos dos pacientes, a melhoria da estética facial.

Após a formulação do diagnóstico e do plano de tratamento ortodôntico e cirúrgico o paciente inicia o tratamento com aparelhos fixos. Estes servem para colocar os dentes numa posição planejada, durante a cirurgia, posicionar os dentes numa relação estética e funcional aceitáveis e dar ao paciente uma aparência agradável. Os aparelhos estarão presentes nas arcadas durante todo o período ativo de tratamento.

O tempo de preparação depende das posições dentárias existentes. Em média a preparação demora cerca de 8 meses a 1 ano.  Se os movimentos dentários necessários para atingir as posições programadas forem muito amplos (dentes muitos tortos) a preparação será mais longa. Muitos pacientes podem ser operados logo após a colocação dos aparelhos por apresentarem posições dentárias muito favoráveis.

A nossa face constitui a nossa identidade para o meio que nos envolve. Nenhum paciente aceitaria, após o tratamento, apresentar um aspecto facial pior do que aquele que tinha antes. O objetivo estético é tão importante quanto o funcional. Para os pacientes com marcado alteração estética é evidente que o objetivo facial é o mais importante. Muitos não só desejam como procuram a mudança. Aqueles que procuram tratamento por razões de ordem funcional, por exemplo, porque têm uma mordida aberta anterior moderada, não desejarão, em princípio, alterar a sua fisionomia. Logo, o objetivo cirúrgico passará pela manutenção da sua aparência anterior.

O procedimento é realizado sob à anestesia geral.

Os pacientes internam no dia anterior de preferência ou na manhã da cirurgia bem cedo. Lembrando do jejum de oito (8) horas antes da cirurgia que deve ser respeitado. As cirurgias devem ser realizadas em Hospital, com exceção da expansão cirurgicamente assistida de maxila (maxila atrésica) e a mentoplastia isolada, que podem ser realizados em Hospital dia. Os hospitais que atuamos são : Hospital Aliança; Hospital da Bahia; Hospital COT; Hospital Santo Amaro, Hospital das Clínicas de Alagoinhas (HCA).

Depende do planejamento cirúrgico. Se estiver previsto operar só o maxilar superior ou a mandíbula demorará cerca de 1 hora e meia a 2 horas. Cirurgia bimaxilar (maxilar e mandíbula) 04  horas. Se necessitarmos de fazer algum complemento cirúrgico do tipo mentoplastia (queixo) agregamos mais 1 hora.

As modificações eventualmente programadas devem corresponder aos desejos e motivações do doente. Para quem não está envolvido no tratamento é evidente ue o que mais impressiona são a alterações faciais passíveis de atingir. Isto acontece nos pacientes com alterações estéticas importantes. Toda a cirurgia será executada por via intra-oral.

Logo após a cirurgia o paciente vai para a sala de recuperação anestésica acordado onde beneficiará de cuidados especializados. Não estará entubado. A mandíbula estará livre para mover-se. Poderá falar ou alimentar-se após algumas horas. O edema facial será moderado e a medicação será administrada por via intravenosa. Esta medicação terá em vista controlar o edema, prevenir dores e infecções.

Após a alta hospitalar poderá alimentar-se convenientemente recorrendo a uma dieta líquida durante dois dias,  preparados hipercalóricos e hiperproteicos,  e mole  até ao fim da terceira semana. Em condições normais poderá voltar à atividade profissional em 15 a 20 dias.

Implantes dentários

Implantes dentários são substitutos artificiais (parafusos), elaborados a partir do Titânio, que simulam a raiz dos dentes naturais e são utilizados para repor um ou mais dentes na arcada dentária. Após a instalação do parafuso, é confeccionada a prótese sobre o implante.

Hoje, com o Protocolo Medicamentoso utilizado tanto antes quanto depois da cirurgia, associado à Ansiolíticos, Analgésicos, Anti-inflamatórios, Antibióticos, em algumas situações, e técnicas anestésicas corretas a sensibilidade operatória se torna MÍNIMA. Em alguns casos são utilizados menos anestesia que em uma restauração ou em um tratamento de canal e o paciente relata que não sentiu nada.

A sensibilidade pós-operatória, em geral, é mínima. Depende, entretanto, de cada caso realizado, do limiar de dor de cada paciente, do uso correto dos medicamentos prescritos pelo cirurgião e pelo seguimento, rigoroso, das RECOMENDAÇÕES PÓS-OPERATÓRIAS.

Não! A palavra rejeição, geralmente, é mal empregada para definir a NÃO-OSSEOINTEGRAÇÃO do implante ao osso.

Como assim?

Primeiro: o implante de titânio é um material altamente BIOCOMPATÍVEL com o corpo humano que não o reconhece como corpo estranho. Assim, o Titânio fica instalado no osso como material inerte, fazendo parte do sistema.

Segundo: Osseointegração é o mecanismo pelo qual o osso se une a superfície do implante travando-o por justaposição. Quando ao invés de osso a superfície do implante é povoada por células de tecido mole é quando falamos que não ocorreu a osseointegração.

Tradicionalmente, espera-se um período de seis meses na maxila e quatro meses na mandíbula para a osseointegração dos implantes antes de serem confeccionadas as coroas (próteses) sobre eles. Atualmente temos disponíveis implantes dentários com tempo de osseointegração reduzida em até 21 dias.

É chamada CARGA IMEDIATA os trabalhos realizados com implantes de Titânio nos quais é confeccionada a parte protética imediatamente à colocação dos implantes. A parte protética, ou seja, as coroas dos dentes podem ser realizadas com material definitivo ou provisório. A grande vantagem nesses casos é que o paciente já sai da cirurgia com os dentes fixos aos implantes.

Não existe limite de idade para a colocação de implantes osseointegrados: a partir da puberdade, qualquer pessoa pode receber implantes. As pessoas idosas com uma condição sistêmica SATISFATÓRIA podem colocar implantes.

Quando a estrutura óssea é insuficiente para que o implante fique bem ancorado e bem posicionado para a futura prótese, utilizam-se técnicas de reconstrução e remodelação do osso remanescente, aumentando a altura e / ou a espessura do osso para que se tenham condições de colocar os implantes de titânio.

O tratamento com implantes tem melhorado a vida de muitas pessoas trazendo benefícios e vantagens tais como:

– Quando indicado, o paciente poderá ter seus dentes em até 72 horas após a cirurgia;

– Melhora da saúde graças à capacidade de mastigar uma ampla variedade de alimentos nutritivos;

– A restauração da boca da forma mais parecida com seu estado natural;

– Maior conforto e confiança devido à eliminação de próteses totais ou próteses parciais mal ajustadas ou soltas;

– Preservação da estrutura dos ossos maxilares pela redução de possível deterioração, mantendo a estética facial;

– Evita o desgaste de dentes vizinhos, necessários para a colocação de próteses fixas sem implantes;

– Sentimento de mastigar com seu próprio dente.

Instruções e cuidados pré e pós operatórios

O preparo adequado do paciente precede a qualquer intervenção cirúrgica e para um melhor resultado alguns aspectos preventivos devem ser considerados. Essas recomendações pré-cirúrgicas se fazem necessárias e devem ser cumpridas rigorosamente pelo paciente.

  • Se o paciente fizer uso regular de Aspirina (ácido acetilsalicílico, Aas…), Vasodilatadores, Anti-coagulantes ou qualquer outro tipo de medicamento, comunicar ao profissional responsável pelo menos uma semana antes para orientações devidas;
  • Em caso de portador de doença cardiovascular, doenças auto-imunes, diabetes, hemofilia ou qualquer outro tipo de doença relevante, favor comunicar antes;
  • Se apresentar alguma doença infecto-contagiosa ,favor comunicar com antecedência;
  • Se for portador de marca-passo, favor também comunicar;
  • Se tiver conhecimento de qualquer tipo de alergia (a medicamentos, esparadrapos, Iodo, anestésicos…) comunique ao profissional;
  • Não comer crustáceos, mariscos e carne de porco 7 dias antes do procedimento cirúrgico e 1 mês após;
  • Não ingerir bebidas alcoólicas 3 dias antes ao procedimento cirúrgico, continuando pôr 7 dias após a intervenção cirúrgica;
  • Se, fumante, suspender 3 dias antes e continuar sem fumar por um mês. (período relativo à cicatrização);
  • A alimentação no dia da cirurgia deverá ser leve a base de carnes brancas ( frango, peixe…) ; frutas e legumes a vontade;
  • Nas cirurgias realizadas pela manhã o paciente ( no café ) deverá fazer alimentação à base de frutas e sucos, sendo contra-indicados alimentos derivados ou que contenham leite;
  • Evitar tarefas estressantes no dia da cirurgia;
  • Dormir cedo na noite anterior à cirurgia;
  • Tomar corretamente a medicação prescrita.

1° Dia (primeiras 24 HORAS)

  • Dieta líquida ou pastosa; fria ou gelada;
  • Bolsa de gelo na face; aplicar por 10 ( dez ) minutos com intervalo de 5 ( cinco ) minutos. Recomenda-se proteger a pele com vaselina ou cremes hidratantes, antes da aplicação da bolsa de gelo, para evitar queimaduras. O gelo é extremamente importante para evitar inchaços exagerados;
  • Manter repouso; evitar esforços físicos, pegar peso, exposição ao sol, pratica de esportes, etc;
  • Aconselha-se não cuspir ou fazer bochechos vigorosos; isso estimula o sangramento nas primeiras horas após a cirurgia. Um pequeno sangramento é normal. Se ocorrer um sangramento mais intenso, umedeça uma gaze em soro fisiológico ou em água filtrada gelada, dobre a gaze coloque-a sobre o local da cirurgia e morda-a firmemente por aproximadamente 20 (vinte) minutos;
  • Conservar a cabeça mais elevada ao deitar-se, utilizando um travesseiro alto.

2° Dia (De 24 a 48 HORAS)

  • Dieta pastosa; temperatura natural;
  • Repouso relativo;
  • Evitar bochechos vigorosos.
  • Fazer bochechos com solução anti-séptica, gluconato de clorexiidina (Periogard®), 2 (duas) vezes ao dia;
  • Manter higiene bucal com escovação normal nas áreas não operadas.

3° Dia (Após 48 HORAS)

  • Dieta pastosa conforme tolerância; temperatura natural;
  • Repouso relativo;
  • Manter higiene bucal.

OBSERVAÇÕES

  • O inchaço após a cirurgia é considerado normal. Ele atinge seu pico máximo em cerca de 48 horas e geralmente dura de 4 a 6 dias. Algumas vezes o inchaço é muito acentuado e pode ocorrer dificuldade em abrir a boca;
  • Eventualmente poderão ocorrer hematomas ou equimoses (manchas arroxeadas nas pele). Isso é mais comum em pessoas de pele clara. Essas manchas geralmente desaparecem espontaneamente após 7 a 14 dias;
  • A medicação prescrita pelo dentista deverá ser rigorosamente seguida para evitar desconfortos ou complicações pós cirúrgicas.
Open chat
Precisa de ajuda?
Olá, como posso te ajudar hoje ?